Emozione segna l’incontro del giovane italiano con lamadre biologica a Porto Alegre


Encontro do jovem italiano com a mãe biológica em Porto Alegre

 

Emozione segna l’incontro del giovane italiano con la madre biologica a Porto Alegre

Após
20 anos de procura, o gaúcho Roberto Salin (33 anos), adotado por
italianos quando bebê, realizou o sonho de conhecer a mãe biológica – a
dona de casa Ana Lucia Peres Cardoso – no dia 16 de março, em Porto
Alegre. A busca começou quando Salin tinha 13 anos e sua mãe adotiva,
Marcela Boscato Salin, contou que ele havia sido abandonado por uma
adolescente sem condições de criá-lo, na Santa Casa de Misericórdia da
capital gaúcha.

Quatro dias antes nascimento de
Roberto – em 29 de dezembro de 1976 – a italiana, que, na época vivia
com o marido Amilcare Salin em Porto Alegre, entrou em trabalho de
parto no mesmo hospital, entretanto sua filha nasceu morta. Durante a
recuperação, ela soube do caso de um recém-nascido abandonado e por
intermédio de religiosas que atuavam na instituição, o casal conseguiu
ficar com o menino, registrando-o como filho legítimo. Aos cinco anos,
a criança foi levada para a cidade italiana de Thiene, na província de
Vicenza, pelos pais adotivos. Disposto a reencontrar suas origens, ele
economizou durante oito anos para vir ao Brasil. Com o auxílio da
advogada Aline Machado Moresco, Salin chegou ao endereço da família.

Conforme relatou a mãe, a adoção ocorreu contra sua vontade. Como ela
era menor de idade na época, e a gravidez era fruto de um
relacionamento com um homem casado, a avó do bebê obrigou a entrega.
Desde então, a dona de casa sonhava em reencontrar o filho, para quem
havia escolhido o nome de Daniel.

Sensibilizada com o sofrimento da mãe, uma das três irmãs do rapaz
chegou a escrever cartas para programas de televisão, na ânsia de
localizá-lo. Quando a avó morreu, há quatro anos, a família pensou que
jamais conseguiria descobrir novas informações sobre o paradeiro da
criança.

Sem saber quando poderá voltar ao Brasil, Roberto, faz planos para
levar a mãe para a Itália, a fim de conhecer sua mulher e suas três
filhas.

 

Dopo
20 anni di ricerche, il gaucho Roberto Salin (33 anni), adottato da
italiani quando era neonato, ha realizzato il sogno di conoscere la
madre biologica – la casalinga Ana Lucia Peres Cardoso – il 16 marzo, a
Porto Alegre. La ricerca è cominciata quando Salin aveva 13 anni e sua
madre adottiva, Marcella Boscato Salin, gli ha raccontato che lui era
stato abbandonato da una adolescente che non era in grado di allevarlo,
nella “Santa Casa di Misericórdia” del capoluogo gaucho.

Quattro giorni prima della nascita di Roberto – il 29 dicembre 1976 –
l’italiana che, in quel periodo, viveva con il marito Amilcare Salin a
Porto Alegre, ha partorito nello stesso ospedale però, sua figlia è
nata già morta. Durante la sua convalescenza, lei ha saputo del caso di
un neonato abbandonato e, per mezzo di religiose che lavoravano presso
il suddetto ente, la coppia è riuscita ad ottenere il bambino,
registrandolo come loro legittimo figlio. Quando aveva 5 anni, il
bambino è stato portato dai genitori adottivi nella città italiana di
Thiene, in provincia di Vicenza. Disposto a riincontrare le sue
origini, lui ha fatto dei risparmi durante 8 anni per poter venire in
Brasile. Con l’aiuto dell’avvocato Aline Machado Moresco, Salin ha
scoperto l’indirizzo della famiglia.

D’accordo con il racconto della madre biologica, l’adozione era
avvenuta contro la sua volontà. Dato che, all’epoca, lei era minorenne,
e la gravidanza era stata il frutto di una relazione con un uomo già
sposato, il nonno del neonato (suo padre) l’aveva costretta a
consegnare il neonato. Da quel momento in poi, la caslinga sognava con
il riincontro del figlio per il quale aveva scelto il nome di Daniel.

Toccata dalla sofferenza della madre, una delle tre sorelle del ragazzo
aveva persino scritto delle lettere ad un programma televisivo,
nell’ansia di localizzarlo. Quando la nonna era morta, quattro anni fa,
la famiglia aveva pensato che non sarebbe più riuscita a scoprire nuove
informazioni sul recapito del bambino.

Non sapendo quando potrà ritornare in Brasile, Roberto fa piani per
portare la madre in Italia, affinchè lei conosca sua moglie e le sue
tre figlie.

Sobre nunaina

seguendo davanti sempre
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s